Arquitetura & Decoração

escritórios

Notícias

O Blog da DirectLight conversou nesta semana com uma das mais experientes e reconhecidas lighting designers do sul do País. Cristina Maluf, do escritório Cristina Maluf Arquitetura de Iluminação, de Porto Alegre (RS), atua há quase 30 anos no mercado e foi uma das fundadoras da AsBAI (Associação Brasileira de Arquitetos de Iluminação).

Cristina contou mais detalhes sobre a trajetória, analisou a evolução do mercado de iluminação e também deu dicas para os jovens profissionais da área. Boa leitura!

1 – Quando e como surgiu o escritório Cristina Maluf Arquitetura de Iluminação?

O nosso escritório Cristina Maluf Arquitetura de Iluminação foi fundado em 1992, quando, em desenvolvimento de alguns projetos, senti a importância da luz e seus efeitos luminosos e comecei a pesquisar como poderia valorizar os meus projetos através da luz.

Naquela época ainda não havia as lâmpadas halógenas, a não ser as que eram utilizadas na iluminação dos automóveis e nos primeiros projetos de iluminação. Para termos uma boa reprodução de cores nos ambientes comerciais, era preciso colocar uma composição de lâmpadas fluorescentes, que na época só havia com baixo índice de reprodução de cor com lâmpadas incandescentes do tipo Mini Spot. Desta forma, tanto para lojas quanto para alguns escritórios, fazíamos esta composição com mais incandescentes ou mais fluorescentes conforme as características dos projetos.

2 – Qual é o perfil do público atendido pelo escritório?

Os projetos que desenvolvemos são para grandes empresas, lojas, escolas e universidades, teatros, hotéis e resorts, parques e algumas residências. O perfil do público que atendemos é, em geral, empresários e arquitetos.

 

3 – O mercado do Rio Grande do Sul tem algumas particularidades em relação aos clientes de outros estados?

Sim, o mercado aqui é um pouco difícil e tudo acontece muito mais devagar que em outros estados como São Paulo e Rio de Janeiro.

4 – Ao longo dos anos, quais foram as principais mudanças que você observou no mercado de iluminação?

Conforme eu comentei, iniciamos os projetos de iluminação quando ainda nem existiam as lâmpadas halógenas e, para termos boa reprodução de cores em um ambiente onde precisássemos colocar lâmpadas fluorescentes como lojas e escritórios, era necessário colocar algumas luminárias com lâmpadas incandescentes para podermos resolver esta reprodução de cores.

Posteriormente, surgiram as lâmpadas halógenas nos seus diversos formatos, como dicroicas MR 16 e MR11, AR 111, AR 70, Par 20, Par 30 e par 38, o que revolucionou a iluminação e possibilitou efeitos incríveis. Paralelamente a esta produção das halógenas, surgiram as fluorescentes com boa reprodução de cores, IRC 80% e também as lâmpadas de vapor metálico com bulbo cerâmico, com fluxo bem maior do que as halógenas e algumas ainda com menor potência.

Assim os projetos comerciais de lojas puderam ser incrementados e os produtos expostos muito mais valorizados, considerando lâmpadas de menor potência como a CDM-R de 35W em relação às halógenas de 50W e as fluorescentes de 28W ou 25W em relação às fluorescentes de 40W, gerando uma considerável economia de energia, além de efeitos luminosos mais adequados.

Estas foram as principais mudanças até o início da produção dos equipamentos em LED. Hoje são produzidos muitos equipamentos em LED, alguns com origem de fabricante conhecidos e confiáveis e outros não tão confiáveis, todos dependendo da binagem dos LEDs. Desta forma, os projetos de iluminação ficaram mais complexos e é preciso testar bem os equipamentos que serão especificados no projeto para ver se os efeitos luminosos desejados serão obtidos em termos de aparência do espaço, intensidade luminosa, abertura de facho, temperatura de cor e controle antiofuscamento.

 

5 – Os projetos de iluminação estão cada vez mais integrados à arquitetura e vice-versa?

Sim, pois a luz pode valorizar os planos e formas do projeto de arquitetura, assim como pode modificá-los, tudo depende de como está projetada a iluminação, seja do ambiente interno como dos planos externos de fachada ou áreas de paisagismo.

Da mesma forma, os equipamentos devem estar integrados à arquitetura pois o que devem aparecer e serem valorizados são os ambientes e planos, e não os equipamentos. Estes devem estar inseridos no detalhamento da arquitetura. O que deve aparecer são os planos iluminados e não os equipamentos.

Este é o motivo porque criamos a AsBAI (Associação Brasileira dos Arquitetos de iluminação), porque entendemos que o profissional formado em arquitetura é o mais adequado para fazer os projetos de iluminação já que ele tem conhecimento da elaboração do espaço e planos que definem a forma arquitetônica. Mas, para projetar a iluminação, este profissional também deve ter estudo e conhecimento da luz como ciência, física e arte, matérias onde o estudo da luz é fundamental.

6 – Quais são as principais tendências que você observa nos projetos de iluminação?

Como o LED é uma fonte de luz eletrônica e minúscula, os equipamentos de iluminação tem se tornado muito pequenos e fornecem ao espaço uma aparência minimalista e possibilitam que a distribuição seja linear, sendo possível projetar linhas de luz que podem ser instaladas no forro, descer pelas paredes em menor intensidade para não causar ofuscamento e, inclusive, possam orientar acessos, se instalados piso, em áreas externas.

Esta iluminação linear também está sendo bastante utilizada para valorizar as formas das fachadas, principalmente as com painéis de vidro, onde não é possível haver projeção de luz. Os projetores de maior potência também já existem em forma linear e colocados ao longo das fachadas, em elementos integrados à arquitetura, torna possível iluminar os planos das fachadas sem criar “manchas de luz” como acontecia anteriormente, caso os projetores não fossem colocados com afastamento suficiente para não gerar estas manchas que causavam a deformação das fachadas.

Além dessas tendências, estudos aprofundados da luz revelam a sua importância na área da saúde, não só em relação à quantidade de luz natural e artificial que o ser humano necessita para regular o ciclo circadiano, mas também como a sua temperatura de cor que pode interferir na produção do hormônio melatonina que regula este ciclo de 24 horas.

 

7 – Qual o conselho que você daria a um jovem arquiteto que queira se especializar na área de iluminação?

Meu conselho é que procure cursos de formação em iluminação, tanto no Brasil quanto, se possível, no exterior e que procure aprofundar-se no assunto, pois a iluminação é um assunto muito mais complexo do que apenas a distribuição de pontos de luz em um ambiente para iluminá-lo.

Fonte: https://directlight.com.br

Em Curitiba é possível encontrar locais que arrecadam roupas, calçados e até acessórios

Com a queda das temperaturas e o inverno se aproximando, chega também uma boa oportunidade para ajudar quem precisa. Inúmeros estabelecimentos e grupos se mobilizam para ajudar famílias em situação de vulnerabilidade.

Além de diversas ações pela cidade, o Palladium Shopping Center em Curitiba arrecada, durante todo o ano, itens na ação “Cabide Solidário”. Mais que roupas, o local também recebe acessórios, calçados, bolsas, maquiagem, cobertores e até bijuterias. Os produtos recebidos devem estar em bom estado e limpos. Atualmente, 30% das roupas e calçados arrecadados pelo Disque Solidariedade, um dos responsáveis pelo recebimento de doações da cidade, são descartados por falta de condições de uso.

No Palladium Shopping Center as doações são recebidas no piso L3, em um espaço especial, que imita um guarda-roupas. “O Cabide Solidário já faz parte da história do shopping e em quatro anos já arrecadamos milhares de itens, que são doados para diversos projetos sociais. Essa ação é realizada o ano inteiro nos corredores do Palladium, para ajudar quem precisa durante todas as estações”, conta a gerente de marketing do empreendimento, Cida Oliveira.

As contribuições feitas até final de junho serão entregues para pessoas atendidas pela Cruz Vermelha – sociedade que oferece assistência humanitária às pessoas afetadas por desastres naturais, conflitos e violência armada do mundo todo.

 

Serviço

Cabide Solidário
Local: piso L3 do Palladium Shopping Center, próximo à loja Cor de Rosa
Endereço: Av. Presidente Kennedy, nº 4121, Portão – Curitiba/PR

 

Sobre o Palladium Shopping Center

Um dos empreendimentos do Grupo Tacla Shopping, o Palladium Curitiba foi inaugurado em 2008 na capital paranaense. Destaca-se pela área construída de 154 mil m² distribuídos em três pisos, sendo o centro de compras com maior mix do sul do país. O shopping possui 350 lojas, entre âncoras e satélites, praça de alimentação com mais de 30 opções de fast-food, Boulevard com 10 restaurantes, além de oito salas multiplex de cinema UCI e sala IMAX – que também faz parte do Grupo Tacla e possui a maior tela do Brasil. Sua estrutura foi planejada para garantir o conforto dos mais de 1,5 milhão de clientes que passam pelo empreendimento todo mês. Mais informações em: https://palladiumcuritiba.com.br

Grupo Tacla Shopping

Conglomerado com mais de 70 anos de tradição, experiência no varejo e referência no setor em todo país, o Grupo Tacla possui sete empreendimentos nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo, sendo eles: Catuaí Palladium Foz do Iguaçu (PR), Jockey Plaza Curitiba (PR), Palladium Curitiba (PR), Palladium Ponta Grossa (PR), Ventura Shopping Curitiba (PR), Itajaí Shopping (SC), Porto Belo Outlet Premium (SC) e Shopping Cidade Sorocaba (SP). Outras duas operações estão em fase de construção no Paraná: City Center Outlet, em Campo Largo e Palladium Umuarama. Mais informações em: http://www.taclashopping.com.br

A empresária Janette Baggio, da BAGGIO REVESTIMENTOS recebeu arquitetas e designers para criar composições em homenagem ao Dia dos Namorados, para deixar o clima ainda mais inspirador, cada um dos escritórios apresentou uma combinação diferente de tons e texturas para o que seria a Suíte do Casal ideal para curtir o dia mais apaixonado do ano.

A BAGGIO REVESTIMENTOS tem soluções em tecidos, confecções de cortinas, colchas e almofadas, persianas, pisos vinílico e clicados, tapetes Originale Maison e papéis de parede, possui atendimento personalizado para Arquitetos, Designers e Decoradores em um escritório bem localizado e seguro. Faz acompanhamento com os profissional na casa do cliente e também na obra.

Agende seu horário com a Janette pelo 41 99967 2239, Av. República Argentina, 2275 – Cj 306 – Edifício Acque Verdi – Curitiba/PR

Texto e fotos: Raquel Lima

 

 

A queda no Produto Interno Bruto (PIB), no primeiro trimestre do ano, acendeu o sinal de alerta para muitos setores que esperam a retomada firme da economia brasileira. A queda de 0,2% quebrou uma sequência de oito trimestres seguidos de crescimento. Com isso, os analistas estão mais cautelosos. A previsão de crescimento do PIB, que era de 2,5% para 2019, foi revisada para 1,6%.

E como está o mercado imobiliário perante estes números? A compra e venda de imóveis influencia toda a cadeia do setor, o que inclui arquitetos, lighting designers, profissionais da área de paisagismo e decoração, entre outros.

A queda no PIB representa um banho de água fria e afeta a confiança, mas é preciso olhar para outros números, para identificar para onde caminha o mercado imobiliário.

Em contraste com o recuo da economia brasileira, muitos números indicam tendência de recuperação. Confira!

 

1 – Segundo empresas associadas à Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), os lançamentos de imóveis somaram 13.144 unidades em março de 2019, totalizando 113.620 unidades nos últimos 12 meses – volume 34,0% superior ao registrado nos 12 meses precedentes.

Já as vendas de imóveis novos totalizaram 11.562 unidades em março, colaborando para um total de 115.625 unidades vendidas nos últimos 12 meses (alta de 2,5%).

 

2 – Outro destaque no período foi a queda expressiva na relação entre distratos e vendas: graças ao recuo de 25,6% no volume de unidades distratadas e ao aumento das vendas no período (+2,5%), o indicador encerrou os últimos 12 meses em 21,2%, o que representa uma queda de 8 pontos em relação à média calculada para os 12 meses precedentes (29,2%).

 

3 – A Pesquisa do Mercado Imobiliário do sindicato da habitação (Secovi-SP) seguiu esta mesma tendência de recuperação. Depois de um primeiro bimestre fraco para os lançamentos, a situação melhorou muito em março na cidade de São Paulo, o que serve de termômetro para outras grandes cidades pelo País.

Foram lançadas 2.081 unidades, 139,2% mais do que em fevereiro e 32,9% acima de março de 2018. Em 12 meses, houve alta de 19,8% nesse indicador. 

 

4 – O Raio X Fipe/Zap Perfil da Demanda de Imóveis aponta, na última pesquisa, para um aumento da participação de compradores (que declararam ter adquirido imóvel nos últimos 12 meses), passando de 10%, no início de 2018, para 14%, o maior patamar desde 2014.

 

Conclusão

Em geral, os números do mercado imobiliário não estão em sintonia com a queda no PIB, o que é boa uma notícia para todos os profissionais do setor. Houve avanço nos lançamentos e nas vendas dos imóveis, além de queda expressiva nos distratos, o que gera maior segurança jurídica para novos investimentos no setor. Ainda há muito que melhorar, mas o mercado imobiliário está dando sinais coerentes de recuperação.

Fonte: Directlight

Os especialistas dizem que as construções são um marco devido a todo o planejamento que rodeia a cidade, inspirada pelo urbanista Lúcio Costa e tendo como principal arquiteto Oscar Niemeyer. Eles ainda complementam que a cidade é marco no movimento modernista graças aos seus prédios monumentais e layout extremamente simétrico.

Entre os pontos elencados como exemplo de beleza, estão: Praça dos Três Poderes, Memorial JK, Torre de Tv, Congresso Nacional, Ministérios, Catedral, Palácios e Espaço Lúcio Costa.

Paraíso dos Arquitetos

Não é à toa a fama da cidade. Os pontos turísticos se consolidaram por sua aparência exótica e sublime e atraem visitantes de todo o mundo. Para Tarik Faraj, sócio-fundador da TRK, imobiliária especializada em imóveis de luxo, a cidade guarda verdadeiras obras de arte. “Toda a construção e concepção original foi planejada. Essa organização atrai olhares e torna Brasília uma cidade muito especial”, diz.

Uma das quadras da cidade, a SQN 107, possui prédios ainda mais especiais: projetados pelo casal de arquitetos Mayume e Sérgio Lima e construídos na década de 60, estes prédios apresentam características marcantes do Brutalismo, arquitetura que faz uso extensivo do concreto aparente, dos volumes puros e maciços, e não oculta a função das estruturas e dos serviços.

Estes icônicos prédios da cidade, voltaram a chamar a atenção depois que a Casa Claudia de Design de Interiores premiou um apartamento que está localizado justamente neste conjunto arquitetônico ímpar da capital federal. O apartamento, com interior projetado pelo Studio de Arquitetura Valéria Gontijo, das brilhantes arquitetas Valéria Gontijo, Isabela Valença e Isabela Moura, apresenta em seu projeto características que casam com toda a proposta do prédio, da arquitetura brutalista da década de 60 e de toda a cidade.

Para compor com essa proposta, a ambientação traz móveis dos anos 60 assinados por designers brasileiros e sofá italiano. Cadeiras de jantar e carrinho de chá de Jorge Zalszupin e mesa garimpada pela Renome Galeria, de Sergio Rodrigues. Obras de arte permeiam todos os cômodos, desde fotografia de Celso Junior com a escada magnífica do Itamaraty, de Oscar Niemeyer, até trabalho do renomado Vik Muniz . Entre o tom neutro da madeira da estante, destaca-se escultura rosa de Jeff Koons e sobre cabeceira da cama, fotografia da série Sufocamento, de Pedro David.

O imóvel, considerado de luxo, demonstra porque existe, cada vez mais, procura por esse tipo de moradia: a assinatura arquitetônica, vinda de renomados arquitetos não só agrega valor como também garante uma melhor venda, segundo estudo realizado por Sandra Marques, investigadora do Centro de Estudos sobre Mudança Socioeconômica e o Território. “Aqueles que investem em um imóvel de luxo estão indo muito além: estão adquirindo uma moradia que será referência”, finaliza Tarik.

Morando em obras de arte

Localizado no Conjunto Urbano de Brasília SQN 107, o apartamento de luxo compõe o portfólio de construções modernas e planejadas de Brasília. O imóvel garante classicismo e conforto sem deixar o luxo de lado. Saiba mais: http://www.trkimoveis.com.br/imovel/apartamento-venda-asa-norte/VK1796


Fontes: dino.com.br/notícias
http://www.trkimoveis.com.br

Os empresários Adriano Mariutti e Paola Mantegazza receberam convidados para a abertura da Mariutti Casa, uma loja de móveis e adornos decorativos instalada em uma charmosa casa com arquitetura que faz alusão à uma vila Toscana, no Jardim Europa. Tuca Reinés, Sérgio K, Jayme Bernardo, Paola Mantegazza entre outros estiveram lá. Confira na Galeria!

Crédito de imagens: Juan Guerra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O projeto de construção do primeiro hospital oncopediátrico do Paraná, o Erastinho, vem ao encontro de uma questão muito importante: a cura de centenas de crianças e adolescentes acometidos pelo câncer.
Quando diagnosticado em estágios iniciais e com o rápido início do tratamento, o câncer infanto juvenil pode ser curado em cerca de 80% dos casos.

A construção do Hospital Erastinho é destinada especialmente ao combate do câncer infanto juvenil. Uma nova estrutura proporcionará um espaço agradável e exclusivo para crianças, humanizando ainda mais o tratamento.

Serão 4.800 m2, com 39 leitos de internamento privativos e semi-privativos, consultórios e espaço recreativo com brinquedoteca, tudo voltado para o melhor tratamento de crianças e adolescentes.

DIA DO EVENTO: 15/08/2019
HORÁRIO: 19H30
LOCAL: RESTAURANTE MADALOSSO – SALÃO FIRENZE
Av. Manoel Ribas, 5875 – Santa Felicidade, Curitiba – PR

 

Este evento foi montado baseado na união de forças entre uma família que já
havia perdido seu filho pelo câncer que após isso, decidiu ajudar o hospital que
tanto lhes acolheram, junto com um outro grupo de forças que também
decorrente de batalhas na família pela mesma doença se mobilizou para também
ajudar o hospital que tanto ajuda as pessoas que necessitam de tratamento como
hoje é referencia no Paraná. (AMIGOS DO XANDE)

Nesse texto, Flora Barros dá dicas de como usar o Light Design a favor do seu restaurante, tanto para satisfazer os clientes, quanto para melhorar o desempenho dos funcionários. Boa leitura!

Não é só fazer a instalação elétrica, colocar o bocal no teto, encaixar a lâmpada e voilà: habemus luz. Não é tão fácil como parece. Existe todo um estudo do ambiente para saber onde cada luz vai ficar. Em um restaurante isso é indispensável, pois ninguém vai querer, em um ambiente todo iluminado, ficar na parte mais escura. A não ser que seja um jantar à luz de velas. Mas esse não é o propósito desse texto. A arquiteta Flora Barros explica o que é necessário.

“Se você procura algo mais intimista, como aqueles restaurantes em que cada mesa tem um pendente e é iluminada separadamente, não pode ser uma luz que esquente. Nesse caso deve ser usado o LED. Mas tudo depende da atmosfera. Em um bistrô, por exemplo, onde tem uma atmosfera mais calma, as temperaturas de cor devem ser mais quentes, mais relaxantes. Isso proporciona à pessoa ficar mais tempo no local, fica mais à vontade”.

A arquiteta também explica que em restaurantes é importante que hajam lâmpadas com grande índice de reprodução de cor (IRC). O IRC é o índice que mede o quanto fielmente a luz emitida pela lâmpada reproduz a cor do objeto que o observador está olhando. Segundo ela, jamais devemos usar lâmpadas com o vidro colorido. No caso de uma lâmpada amarela, devemos usar o “branco-quente” – ou seja, o vidro deve ser transparente, enquanto o filamento dentro da lâmpada pode ser um “branco-amarelo”.

“O vidro pintado distorce a cor da comida. É aquela coisa: você mistura uma tinta azul com uma vermelho. O resultado vai ser roxo, certo?! Você acha legal comer uma carne roxa? Não dá. A luz deve ser fiel às cores originais do ambiente”.

Foto do La Clave Bistrô, onde a iluminação é amarelada, tornando o ambiente mais aconchegante.

No caso de ambientes mais “rápidos”, em que as pessoas simplesmente comem e saem, os conhecidos fast food, Flora diz que “as cores devem nos deixar alerta. Dá pra usar uma temperatura de cor de 4.500 pra cima – de neutro para frio. É um Fast Food, ou seja, as pessoas comem e logo vão embora. Não é um lugar em que a pessoa quer ficar relaxando”.

E em relação à cozinha do restaurante?

“Na cozinha de uma casa você precisa de uma iluminação geral e uma de tarefa. No caso do restaurante, os funcionários não podem ficar acendendo e apagando a luz (de tarefa), pois é usada por muito tempo. Também é necessário alinhar a luminária com o balcão, usando uma luz forte (neutra e com alto índice de reprodução de cor, 97 no mínimo), pois enquanto a pessoa está cortando algo, a sombra desta pessoa não pode ficar sobre a sua tarefa, já que dificultaria seu trabalho”.

Cozinha com estações de trabalho bem iluminadas, com iluminação sempre acesa e sem pontos de sombra.

Flora Barros atenta também para os cuidados que devem ser tomados na cozinha com relação aos acidentes. Ela diz que as luminárias precisam de índice de proteção (IP), ficando em 62 ou 63. Elas são protegidas e precisam ser blindadas contra gorduras e explosões, assim como as tomadas.

“As luminárias geralmente ficam no teto. Elas não ficam pendentes para o funcionário não bater nelas e assim ficarem balançando, além do perigo de salpicar óleo quente ou até mesmo uma chama atingi-las. A quantidade de luz pode ser calculada de acordo com uma tabela. A cozinha de um restaurante é muito distinta da cozinha de uma casa. Devemos ter todo o cuidado”, diz Flora.

Gostou dessas dicas e quer implementar no ambiente?

Para conferir os serviços oferecidos pelo escritório Flora Barros Arquitetura, realizar orçamentos ou tirar dúvidas sobre projetos de arquitetura e iluminação, acesse o site www.florabarros.arq.brou ligue para (81) 99268.7639

Flora Barros Arquitetura está localizada em Recife e especializado em Projetos de Light Design (Iluminação) e também: Projetos de Arquitetura e Urbanismo, Projetos de Construção, Processos de Regularização Fundiária e Lei do Puxadinho. Para entrar em contato com o escritório, ligue para o Fone: (81) 99268.7639, e-mail: contato@florabarros.arq.br – Website: www.florabarros.arq.br

FONTES:
Website: http://www.florabarros.arq.br

De acordo com a empresária Larissa Fernandes, uma das idealizadoras do evento, a feira representa um resgate do trabalho manual e a importância de fortalecer o empreendedor brasileiro. “Valorizamos muito esse tipo de produção, que foge do convencional, e acreditamos que essas iniciativas precisam ser mostradas. Temos contato com vários pequenos produtores e acompanhamos os trabalhos incríveis, autorais e diferentes. Nosso foco é o fortalecimento desses pequenos produtores”, afirma.

Aproximadamente 50 expositores vão participar do evento, com várias opções tanto para uso pessoal quanto para decorar o lar. Para expor na feira, ao menos parte do processo precisa ser feito à mão. “São peças únicas, ao contrário dos objetos industrializados, e caem bem em diferentes propostas. Teremos artigos de madeira, de tábua de reflorestamento, de bordado e de cerâmica, por exemplo. Além de cadernos artesanais, geleias e molhos caseiros”, adianta Larissa. Durante os dois dias de evento, haverá também food trucks, com diversas opções de lanches para os visitantes.

Essa edição, realizada em parceria com a designer Day Fernandes, responsável pelo blog @casa_dos_fundos, terá exposições de produtores mineiros e pequenas marcas de outros Estados, como Piauí e Rio de Janeiro. “Na primeira edição, tivemos apenas empreendedores mineiros e, dessa vez, teremos muita coisa diferente, com mais de 30 novos expositores. A ideia é fazer com que pequenos produtores dos setores de decoração e de design sejam reconhecidos”, afirma.

A proposta de valorização das iniciativas locais no setor de design e da decoração foi fundamental no estabelecimento da parceria entre a feira Benquisto e o Shopping Minascasa. “Temos observado o crescimento da arte e da produção local mineira e consideramos fundamental o apoio a esses pequenos empresários da área. Há muito potencial nos artigos trazidos por eles; os trabalhos manuais valorizam as tradições, imprimindo mais identidade nas composições”, afirma Ana Carolina Almeida, analista de Marketing do Shopping Minascasa.

Fonte: http://noticias.dino.com.br/noticia

O evento reunirá representantes de centenas de municípios brasileiros a fim de discutir ações e parcerias público-privadas para as cidades. Cerca de 700 municípios já estão confirmados no encontro no interior paulista. O Conexidades terá a presença do governador de São Paulo, João Doria, e do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, entre outros

A construção de escolas em módulos habitacionais já foi efetivada com sucesso em dezenas de cidades de Rondônia. Os módulos também são utilizados na Escola Americana, em Belo Horizonte (MG), na Escola Britânica St. John, em Cotia (SP), e em Paraopeba (MG). As salas de aula podem ser montadas em dois ou três módulos acoplados, em um prazo máximo de dois dias.

De acordo com o diretor de Operações da Lafaete, Edison Tateishi, entre as principais vantagens da construção modular, estão a rapidez, a praticidade no transporte e na montagem, o conforto e a durabilidade da edificação. Além disso, trata-se de uma solução altamente sustentável, princípio que dialoga com um dos principais temas do congresso. “A vantagem principal dos módulos é a facilidade com que a empresa consegue instalá-los. Às vezes, é em lugar muito remoto, de difícil acesso para a chegada de material e a montagem de uma estrutura de obra em alvenaria é demorada. Em função das estruturas serem desmontáveis, a logística de transporte é mais prática. É também uma construção que praticamente não utiliza água: ecológica”, argumenta.

Além das soluções para a educação, serão oferecidos projetos que envolvam os demais tópicos de relevância na administração pública, como tecnologia, inovação, turismo e mobilidade urbana. “Sabemos que, nos órgãos públicos, é grande a necessidade de construções bastante específicas. Queremos mostrar a versatilidade dos nossos produtos e que podemos atender a diversas demandas dos municípios”, afirma Tateishi.

Ele explica que a Lafaete, criada em 1970 em Belo Horizonte (MG), atua nos segmentos de locação, fabricação e venda de equipamentos para construção civil, infraestrutura, mineração, alimentação, agricultura, indústrias em geral e eventos. Com sede em Belo Horizonte (MG) e dez filiais em sete Estados, a empresa tem cerca de 600 funcionários e possui fábrica com certificação ISO 9001.

Website: http://www.lafaete.com.br

http://noticias.dino.com.br/noticia

24ª Edição da principal mostra de arquitetura, decoração e paisagismo do interior paulista entra na reta final de visitação

O evento está imperdível, com ambientes criativos, muitos lançamentos e um cenário incrível, que merece ser visitado”, afirma a empresária Sueli Cardoso

Local: Campinas, SP

Expondo as principais tendências do setor – com muita tecnologia, inovação e criatividade – a Campinas Decor 2019 entra na reta final e segue até 16 de junho tendo como cenário um casarão histórico, em pleno coração da cidade.  Além da total recuperação do imóvel centenário pertencente ao patrimônio público – legado que será deixado ao município – os visitantes podem conferir o que há de mais moderno em artigos para decoração e construção, revestimentos, mobiliário, luminotécnica, automação residencial e tudo o que envolve esse universo.

São 43 ambientes internos e externos preparados por um time formado por profissionais de renome da cidade e região, somando 3.600 metros quadrados de área. Passeio completo para toda a família, incluindo boa gastronomia e bebidas oferecidas no restaurante, no café e no bar.

Foram investidos cerca de R$ 7 milhões para a montagem da edição, divididos entre organização, patrocinadores, expositores e fornecedores – desse total, cerca de R$ 2 milhões foram consumidos apenas nas obras de recuperação. A expectativa é receber um público similar ao dos últimos anos, entre 30 mil e 32 mil visitantes.

Após a realização da mostra, graças à doação das benfeitorias, o casarão pertencente à prefeitura e tombado pelo Condepacc (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas) será utilizado para abrigar a Secretaria de Educação do município. Serão instalados no imóvel o gabinete da secretária, assessoria jurídica, diretorias e coordenadorias.

“O evento está imperdível, com ambientes criativos, muitos lançamentos e um cenário incrível, que merece ser visitado”, afirma a empresária Sueli Cardoso, organizadora da Campinas Decor.

A instalação da exposição no imóvel conhecido por ter abrigado o extinto Colégio Ateneu reforça a política da Campinas Decor de recuperação de bens do patrimônio público iniciada em 2003, quando o evento promoveu a reforma no Casarão do Lago do Café. De lá para cá, foram recuperados: Estação Guanabara, em 2008; prédios do Instituto Agronômico de Campinas, nas edições de 2009 e 2010; Estação Cultura, em 2011; Casa de Vidro, em 2016, e Fazenda Argentina (2018).

A realização da Campinas Decor na propriedade está sendo possível graças a um convênio de permissão de uso firmado entre a organização do evento e a administração municipal. O termo tem como objetivo a cooperação entre o poder público e a iniciativa privada para a conservação do imóvel.  Esta é a quarta parceria entre a empresa e a prefeitura, uma vez que Lago do Café (duas ocasiões) e a Estação Cultura também pertencem ao Poder Municipal.

Assim como nas edições anteriores, a organização traçou uma “história da família” para nortear o trabalho dos expositores. Neste ano, os visitantes têm a oportunidade de conhecer os espaços preparados para um casal na faixa dos 40/45 anos, com uma filha de 6 anos e um bebê (menino).

O cunho beneficente da 24ª edição da Campinas Decor vai além da doação das benfeitorias realizadas no prédio pertencente à prefeitura. A mostra reservou o espaço “Loja do Bem” para a comercialização de produtos confeccionados na Oficina do Grupo Primavera. Fora isso, a organização ainda irá destinar 3% da arrecadação da bilheteria do evento para a entidade, que atende hoje cerca de 500 crianças, adolescentes e jovens de 6 a 18 anos do entorno do Jardim São Marcos, Campinas, por meio de programas de educação complementar, cultural e profissional oferecidos no contraturno escolar.

 

Sobre a Campinas Decor

Criada em 1996, a Campinas Decor consolidou-se como a principal mostra de arquitetura, decoração e paisagismo do interior de São Paulo. Ao longo dos anos, tornou-se uma grande vitrine do trabalho realizado pelos expositores, além de uma oportunidade única para fornecedores e patrocinadores divulgarem sua marca e seus últimos lançamentos.  Os excelentes resultados obtidos ao longo dos anos trouxeram a parceria e a obtenção de patrocínio e apoio junto a grandes empresas. Em 2019, o evento obteve excelente receptividade junto às marcas, ampliando consideravelmente o número de patrocinadores e apoiadores, além de contar também com o apoio da Prefeitura Municipal de Campinas e da Secretaria de Educação do município. A Campinas Decor 2019 tem patrocínio máster da Deca e Leo Sob Medida, patrocínio Hunter Douglas, Weiku, Engetax, Guardian Glass e Cyberglass, Saci Tintas e Tintas Coral e apoio C&C, TECPRAG e Projetetto. São fornecedores oficiais, Kosten-Haus, Ateliê Revestimento, Portobello e Breton. Assinam como patrocinadores de mídia a Revista Metrópole, a Band e a GM7.

 

Serviço

 

Campinas Decor 2019

Quando: até 16 de junho

Onde: Rua Barreto Leme, 1.515, Cambuí

Horários: de terça a sexta-feira, das 14h às 22h; sábados, domingos e feriados, das 12h30 às 22h. A bilheteria fecha sempre às 20h30.

Valor dos ingressos: R$ 40,00; estudantes e idosos pagam R$ 20,00 e crianças de até 12 anos não pagam; passaporte Campinas Decor, com visitas ilimitadas: R$ 90,00

Serviços disponíveis: restaurante, café, bar e estacionamento com manobrista

Telefone para informações: (19) 3255-7744

http://www.campinasdecor.com.br

noticias.dino.com.br/noticia

Colunistas

Instagram

  • "A felicidade surge quando um amor como o nosso acontece". Te amo. Bjks.
  • Evento da @gava_ambientes na CASACOR Paraná, confraternizar e conferir o ambiente do arquiteto Marcelo Lopes "Suite da Moça. Confira todas as imagens no Portal Gerson Lima.
Foto by @arquiteto_renato_sabadin
  • TODESCHINI BATEL CELEBRA EM GRANDE ESTILO NA CASACOR PARANÁ
Confira todas as imagens no portal Gerson Lima. #todeschinibatel #gersonlima7 #raquel_lima77 @casacorpr #curitiba #melhoreeventos
  • Na CASACOR Paraná fazendo a cobertura do evento Todeschini Batel, assinado pelo Arquiteto @andrebertoluci, breve todas as imagens no portal Gerson Lima.

Acesse Agora!

Scroll Up