Revista

VISITAS: COMO RECEBER, COMO VISITAR

Como sempre se diz: receber visitas é uma arte! Exige que o anfitrião se planeje e se organize para bem atender aos visitantes.
Os cuidados e as ações antecedem o momento de receber.
No lavabo colocam-se toalhas secas e limpas, rolos de papel higiênico completos e sabonetes secos.

As almofadas devem estar desamassadas e os sofás de tecido devem estar escovados.

A televisão deve estar desligada e o som deve estar ajustado para um volume adequado que não atrapalhe a conversa.

Os aperitivos devem estar previamente prontos, aguardando apenas o momento de servir. As comidas e outras guloseimas também são preparadas com antecedência, evitando-se interrupções constantes nos assuntos das conversas.

Após a chegada das visitas evita-se atendimento ao telefone.

Por outro lado, quem visita também deve seguir algumas regras: chegar no horário convencionado e, no máximo, com quinze minutos de atraso. Inclusive, para não prejudicar a qualidade dos alimentos previamente preparados.

Invariavelmente, as visitas devem sim levar um singelo presente, na forma de uma garrafa de bebida, uma caixa de bombons, um vaso com flores, etc. Nada de levar buquês de flores soltas, pois isso obriga a dona da casa a providenciar um vaso de última hora.

A visita educada demonstra apreço e consideração ao se trajar adequadamente. Normalmente, o traje é o esporte fino. Não é porque todos ficarão em casa e entre amigos, que se justifica visitantes usando chinelos e bermudas, por exemplo. Há uma reciprocidade. Como o anfitrião, num jantar, colocaria guardanapos de tecido à mesa para pessoas vestidas inadequadamente? Como se percebe, deve haver um equilíbrio entre as atitudes, as posturas, ambiente e a consideração entre as pessoas.

Outro erro é dizer aos amigos que se sintam em casa. Embora as visitas sejam bem-vindas, a casa do anfitrião jamais será a casa delas. Pedir ou dizer para a visita buscar algum alimento na geladeira ou não ser atencioso, usando o argumento de que a visita é de casa, demonstra desatenção e falta de carinho para com o visitante. É gafe!

Nos dias de hoje, onde a maioria das pessoas reside em apartamento, por mais alegre e empolgante que seja o momento, não se fala em tom de voz demasiado alto e não se faz barulho que incomode os vizinhos. E não adianta usar a justificativa que isso só ocorre uma vez ou outra. Sempre será falta de respeito.

Por mais que os assuntos sejam interessantes e que o anfitrião se mostre descansado, a regra é não permanecer além da meia-noite. Dessa forma, diminui-se o cansaço do dia seguinte e a possibilidade de incomodar aos vizinhos. A melhor reunião de amigos é aquela que garante mais assuntos para uma outra visita ou oportunidade. Mesmo que o anfitrião garanta “que ainda é cedo”, no fundo, no fundo, ele apenas está sendo gentil.

A melhor visita é aquela que traz alegria e deixa saudades.

 

Ficha Técnica:
Texto: Josué Lemos da Silveira
Imagem: Indice Feminino
Arte e Publicação: Raquel Lima

 

 

ÚLTIMAS COLUNAS

Na vida, embora seja difícil, todos sabem que se pode viver sem namorar mas, sem amizades, a vida se torna quase impossível…

Quem nunca teve dúvida para compor um traje adequado para determinada ocasião ou situação? São tantas as variáveis: horário do dia, local, tipo de evento, combinações de cores e acessórios, harmonia de texturas…

Scroll Up